Telefone (31) 3295-3425          WhatsApp (31) 99449-7090 

Somos apaixonados por gente!

Nossa missão é ajudar os nossos clientes a desenvolver ao máximo as suas potencialidades, adquirir o equilíbrio psicoemocional e viver a vida com mais qualidade e alegria.
 
Para isso, lançamos mão de toda a nossa experiência adquirida por mais de trinta anos atendendo pessoas e organizações.
Na área clínica já atendemos milhares de clientes incluindo adolescentes, adultos e casais.
 
Na área organizacional já ajudamos centenas de empresas em todo o país a obterem um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo e por consequência, um clima organizacional confortável, criativo e motivador.

 

Têm momentos que precisamos de ajuda!

 

Têm momentos na vida que achamos que estamos dentro do olho de um furacão, que não temos saída. Em outros momentos, nossos pensamentos e emoções ficam tão confusos que se parecem com peças de quebra-cabeça embaralhadas. Esses eventos são acompanhados de muito sofrimento. É importante buscar ajuda.

Nessas horas a psicoterapia é uma ótima aliada!

AJUDA

A Depressão é coisa séria! 

 
depressão é considerada o “mal do século” pela OMS – Organização Mundial da Saúde.

Ela é caracterizada pela perda ou diminuição de interesse e de prazer pela vida, muitas vezes sem uma causa aparente. Se não tratada de forma correta, ela pode causar sérios problemas entre eles o comprometimento das relações interpessoais, da capacidade de trabalhar e de manter vínculos afetivos e o aumento dos riscos de suicídio.

A depressão é um transtorno psiquiátrico que atinge pessoas de todas as idades. Segundo a OMS existem 350 milhões de pessoas no mundo que sofrem com o transtorno. No Brasil, dados da Kantar Health sugerem que 16% dos brasileiros são acometidos pela depressão

O tratamento que tem se mostrado mais eficaz é a combinação de medicamentos e psicoterapia.

Transtorno de Pânico ou Síndrome do Pânico

 

No Brasil, em torno de 1% da população tem um ataque de pânico por ano e 5% dos adultos relatam já terem tido pelo menos um ataque de pânico pelo menos uma vez na vida. 

No Brasil, em torno de 1% da população tem um ataque de pânico por ano e 5% dos adultos relatam já terem tido pelo menos um ataque de pânico pelo menos uma vez na vida. 

A Síndrome de pânico é caracterizada por um medo intenso ou/e mal-estar com sintomas físicos e cognitivos que se iniciam de forma brusca e alcançam intensidade máxima em cerca de cinco minutos. A pessoa acometida sente um medo persistente e recorrente de morrer, o que aumenta a chance de outros ataques.

Algumas pessoas passam por esses episódios regularmente, diariamente ou semanalmente. Os sintomas externos de um ataque de pânico geralmente causam experiências sociais negativas (como vergonha, estigma social, ostracismo etc.). É comum que o medo persista e seja generalizado gerando agorafobia (medo mórbido de se achar sozinho em grandes espaços abertos ou de locais considerados como desprotegidos.).

O tratamento do transtorno de pânico inclui medicamentos para ansiedade e psicoterapia.

Ansiedade

Transtorno de Ansiedade

 

O transtorno da ansiedade é um distúrbio caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, persistente e de difícil controle, que perdura no mínimo por seis meses. Se caracteriza por apreensão, medo e desconforto diante de situações corriqueiras, de forma desproporcional.

Atualmente, no Brasil, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há mais de 18 milhões de pessoas que sofrem de ansiedade.

Pessoas com ansiedade tendem a apresentar sensações como dificuldade de concentração, excitabilidade, hiperatividade, excesso de medo ou de agitação, pensamentos de catástrofe, preocupação exagerada, isolamento social, dificuldade de esquecer o que a aflige, insônia, falta de confiança diante de momentos que fujam do previsto e falta de estabilidade emocional quando algo foge ao planejado.

A ansiedade pode ser classificada como:

 

  • Ansiedade generalizada;
  • Fobia social;
  • Pânico;
  • Fobias como claustrofobia e aracnofobia;
  • Agorafobia;
  • Transtorno de estresse pós-traumático;
  • Transtorno obsessivo-compulsivo.

Tratamento do Transtorno de Ansiedade

Os melhores resultados no tratamento dos transtornos de ansiedade têm sido através do uso de medicamentos associado com psicoterapia.

 

Transtorno bipolar

 

O transtorno afetivo bipolar também conhecido como doença bipolar ou doença maníaco-depressiva,  um distúrbio psiquiátrico complexo. Sua característica mais marcante é a alternância, às vezes repentina, de episódios de depressão com os de euforia (mania e hipomania) e de períodos assintomáticos entre eles.

Afeta tanto homens como mulheres e apesar de geralmente começar no final da adolescência ou no início da idade adulta, pode também afetar crianças e idosos.

As flutuações de humor têm reflexos negativos sobre o comportamento e atitudes dos pacientes, e a reação que provocam é sempre desproporcional aos fatos que serviram de gatilho ou, até mesmo, independem deles.

 Tipos de transtorno bipolar

 
  • Transtorno bipolar Tipo I

O portador do distúrbio apresenta períodos de mania, que duram, no mínimo, sete dias, e fases de humor deprimido, que se estendem de duas semanas a vários meses. O quadro pode ser grave a ponto de exigir internação hospitalar por causa do risco aumentado de suicídios e da incidência de complicações psiquiátricas.

  • Transtorno bipolar Tipo II

Há uma alternância entre os episódios de depressão e os de hipomania (estado mais leve de euforia, excitação, otimismo e, às vezes, de agressividade), sem prejuízo maior para o comportamento e as atividades do portador.

  • Transtorno bipolar não especificado ou misto

Os sintomas sugerem o diagnóstico de transtorno bipolar, mas não são suficientes nem em número nem no tempo de duração para classificar a doença em um dos dois tipos anteriores.

  • Transtorno ciclotímico

É o quadro mais leve do transtorno bipolar, marcado por oscilações crônicas do humor, que podem ocorrer até no mesmo dia. O paciente alterna sintomas de hipomania e de depressão leve que, muitas vezes, são entendidos como próprios de um temperamento instável ou irresponsável.

O tratamento

 

Transtorno bipolar não tem cura, mas pode ser controlado. O tratamento inclui o uso de medicamentos, psicoterapia e mudanças no estilo de vida, tais como o fim do consumo de substâncias psicoativas, (cafeína, anfetaminas, álcool e cocaína, por exemplo), o desenvolvimento de hábitos saudáveis de alimentação e sono e redução dos níveis de estresse.

A psicoterapia é um recurso importante no tratamento da bipolaridade, uma vez que oferece suporte para o paciente superar as dificuldades impostas pelas características da doença, ajuda a prevenir a recorrência das crises e, especialmente, promove a adesão ao tratamento medicamentoso que, como ocorre na maioria das doenças crônicas, deve ser mantido por toda a vida.

Avenida do Contorno, 9939, Sala 303 – Prado – Belo Horizonte – MG

 Telefone: (31) 3295-3425   WhatsApp: (31) 99449-7090   E-mail: contato@gpaiva.com.br